GUIU EM PEDAÇOS

GUIU EM PEDAÇOS
Algumas boas palavras permanecem....sempre em nossos corações!

6 de jul de 2010

Pessoas com Deficiência e as Estrelas do Mar

Por muitas vezes acho que na luta em defesa das pessoas com deficiências tenho a impressão que andamos em círculos, parece que lutamos e não saimos do lugar.
Algumas vezes me senti tão pequena perante tanta gente....tinha a plena sensação de que na verdade não fazia nada.
Hoje já penso diferente, acho que se fizermos a diferença para uma pessoa, já valeu a pena todo trabalho, mudar o mundo é muito dificil, mas podemos começar com a nossa própria mudança interior....
Depois, podemos tentar mudar as pessoas a nossa volta, quando digo mudar, não é no sentido literal, e sim informar, explicar, e a pessoa passar a ter uma nova visão da deficiência, não mais tão radical como antes.
Muitas vezes, uma pessoa que não tem contato com nenhum deficiente, julga, imagina, tem conceitos muito errados, e eu acho que uma das nossas missões é a informação.

Esse texto ilustra bem o que quero dizer sobre fazer a diferença.
É lindo, divido com todos vocês com muito carinho...e pensem nisso....divulguem, ajudem, protestem, se uma coisa bem pequena mudar, melhorar, você vai poder dizer: Valeu a Pena!!!!

Era uma vez um escritor que morava em uma tranqüila praia, junto de uma colônia de pescadores.
Todas as manhãs ele caminhava à beira do mar para se inspirar, e à tarde ficava em casa escrevendo.
Certo dia, caminhando na praia, ele viu um vulto que parecia dançar.
Ao chegar perto, ele reparou que se tratava de um jovem que recolhia estrelas-do-mar da areia para, uma por uma, jogá-las novamente de volta ao oceano.
"Por que está fazendo isso?"- perguntou o escritor.
"Você não vê! --explicou o jovem-- A maré está baixa e o sol está brilhando. Elas irão secar e morrer se ficarem aqui na areia".
O escritor espantou-se. "Meu jovem, existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora, e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Que diferença faz? Você joga umas poucas de volta ao oceano. A maioria vai perecer de qualquer forma. O jovem pegou mais uma estrela na praia, jogou de volta ao oceano e olhou para o escritor.
"Para essa aqui eu fiz a diferença..".
Naquela noite o escritor não conseguiu escrever, sequer dormir.
Pela manhã, voltou à praia, procurou o jovem, uniu-se a ele e, juntos, começaram a jogar estrelas-do-mar de volta ao oceano.


Sejamos, portanto, mais um dos que querem fazer do mundo um lugar melhor.
Sejamos a diferença!

Autor Desconhecido

Nenhum comentário:

Postar um comentário