GUIU EM PEDAÇOS

GUIU EM PEDAÇOS
Algumas boas palavras permanecem....sempre em nossos corações!

26 de jul de 2015

Trabalho de Conclusão de Curso, produção de um artigo: Educação e Tecnologia-uma relaidade em expansão.

EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: UMA REALIDADE EM EXPANSÃO



Autoras: Gislene Aparecida Lemes 
Glissia Mara Mendes Dias 
Orientadora: Daniela Rocha da Silva



RESUMO



O presente trabalho tem por objetivo refletir sobre as novas tecnologias relacionadas à educação, compreendendo a interação que pode ser feita no processo de ensino aprendizagem através da pratica pedagógica visando a modalidade do ensino a distância. A metodologia empregada foi construída através de pesquisa bibliográfica, especialmente por meio de artigos, livros e documentos disponíveis em sítios eletrônicos. Com o advento tecnológico a Educação à Distância pode levar conhecimentos aos mais diversos territórios do Brasil. Nesse sentindo, através dessa evolução, tornou-se possível uma maior interatividade e comunicação. As dificuldades existem, mas o envolvimento e comprometimento da equipe interdisciplinar podem reduzir esses problemas e ampliar as expectativas no que diz respeito a essa modalidade de ensino próspera, em ascensão, e de forma contínua tornando-se popular e democrática. Diante de todo o processo de construção, desenvolvimento e concretização da Educação à Distância é possível afirmar e concluir que atualmente é uma tendência mundial que permite e possibilita novas perspectivas para o cenário educacional brasileiro.
.



Palavras-chave: Tecnologias, Educação à Distância, Ensino Aprendizagem.


1.    INTRODUÇÃO



Para alcançarmos períodos exitosos na Educação à Distância vários processos e trajetórias foi necessária, hoje a realidade virtual alcançada através das Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs são primordiais para a potencialização dos mais diversos cursos oferecidos na EaD,  reduzindo distâncias e rompendo fronteiras. Mas todo o processo inicial do ensino aprendizagem à distância originou-se através do rádio,

A Rádio Sociedade criada por Edgar Roquette Pinho em 1923, tão logo se tornou Rádio Ministério da Educação em 1936 voltada para os empreendimentos culturais e educacionais, sendo considerado às primeiras iniciativas da Educação à Distância no território brasileiro (GOUVÊA e OLIVEIRA, 2006). Tão logo em 1939 o Instituto Universal Brasileiro surge na perspectiva emancipadora de oferecer cursos profissionalizantes à distância (GOUVÊA e OLIVEIRA, 2006).

Em 1970 surge do Projeto Minerva desenvolvido também através do rádio, GOMES (2001) informa que este projeto foi oriunda do Governo Federal com o objetivo principal de educar a população adulta, certifica-se ainda que o Programa era transmitido em rede nacional. Já em 1991/1995 o  Programa Salto para o Futuro e o Programa TV Escola norteiam a aprendizagem através da televisão, dando assim, novas perspectivas para a construção do conhecimento ( GOMES, 2011).

De 1998 a 2002 surgem o Programa Nacional de Informática na Educação, a posteriori novas Universidades são credenciadas nas premissas do desenvolvimento da EaD, e finalmente o Projeto Veredas, que tinha por finalidade a formação dos professores da rede de educação básica em Minas Gerais. Tão logo, a Universidade Aberta do Brasil em 2005 com a união das Universidades públicas brasileiras levaram a EaD nos mais diversos recortes espaciais ( GOMES, 2011).

Já em 2006 e 2008 as Instituições de Ensino de âmbito Federal se juntam a essa promissora modalidade de ensino promovendo a qualificação profissional através da Rede e-Tec de ensino dentro da vertente tecnológica, assim, através da evolução tecnológica, hodiernamente é possível proporcionar uma formação inicial e continuada para toda a população brasileira, seja ela pública ou privada (GOMES, 2011).


Mas torna-se relevante destacar que no que diz respeito à legislação da EaD no Brasil, o marco exitoso dessa modalidade de ensino está pautada na Lei de Diretrizes e Bases – LDB nº 9.394/1996, tendo seu artigo nº 80 regulamentado em 2005 por meio do Decreto 5.622 que em seu artigo de nº 01 destaca

Art. 1 o Para os fins deste Decreto, caracteriza-se a educação a distância como modalidade educacional na qual a mediação didático- pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos (BRASIL, 2005, ARTIGO 01).


Assim, contemporaneamente a Educação à Distância vem sendo oportunizada e desenvolvida através das Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs. Nessa perspectiva, o presente estudo tem por objetivo refletir sobre as novas tecnologias relacionadas à educação, compreendendo a interação que  pode ser feita no processo de ensino aprendizagem através da pratica pedagógica visando a modalidade do ensino a distância. A metodologia empregada foi construída através de pesquisa bibliográfica, especialmente por meio de artigos, livros e documentos disponíveis em sítios eletrônicos.

A EaD vem caminhando em passos largos visando sua ascensão, e intermediado por um acesso democrático trouxe novas perspectivas para a qualificação pessoal, rompeu os paradigmas da Educação presencial e potencializou o processo de ensino aprendizagem para todos os envolvidos no âmbito dessa modalidade de ensino.

2.    ABORDAGEM METODÓLOGICA


O método, metodologia e instrumento utilizado nas mais diversas pesquisas científicas devem ser concebida à partir dos seguintes questionamentos, Como? Com quê? Onde? Quanto? (LAKATOS; MARCONI, 2003, p.  221). Deste modo, o recurso metodológico utilizado para alcançar os objetivos do presente estudo encontra-se centrado em pesquisa bibliográfica concernente principalmente de referências teóricos disponível no ambiente digital. Sobre a pesquisa bibliográfica Fonseca (2002, p. 32) informa que “é feita a partir do levantamento de referências teóricas analisadas, e publicadas por meios escritos e eletrônicos, como livros, artigos científicos, páginas de web sites”.

O presente estudo foi desenvolvido através da proposta de Trabalho de Conclusão de Curso TCC, uma vez que este é primordial para a finalização da Pós Graduação Lato Sensu de Educação à Distância do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais – IFNMG. A instituição visa uma formação inicial e continuada dos seus colaboradores e funcionários porque entende que:

A Educação a Distância EAD, concebida para ir além da perspectiva de capacitação de pessoas, é, também, um processo educacional formador do indivíduo, contribuindo para sua emancipação e para o exercício pleno da cidadania. Não pode ser vista somente para contemplar soluções que atendam às demandas coletivas da sociedade (PEREIRA; MORAES, 2009, p 65).



Diante do exposto, as autoras do presente estudo puderam  alcançar uma bagagem teórica e prática através do exercício do ofício na Educação à Distância, bem como, experiências qualitativas enquanto alunos do curso à distância.

3.    AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO – TICs



Intermediado pelas Tecnologias de Informação e Comunicação TICs a Educação à Distância vem proporcionando um acesso democrático e promissor para a sociedade brasileira, onde todo o processo de ensino aprendizagem é desenvolvido de forma interativa através da tela do computador, o aluno é acompanhado por tutores e professores habilitados e compromissados para que haja uma aprendizagem qualitativa.


De acordo com os escritos de Almeida (2009) para chegarmos os dias atuais as TICS na EaD passaram por fases transformadoras e extremamente essenciais, foram 04 fases em que o ensino foi repassado de formas distintas conforme quadro 01 abaixo.
  


FASES DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TICs
Primeira Fase
O uso de computadores foi fortemente influenciado pelos discípulos de Papert e Piaget, chamados loguistas, que a partir de um universo cartesiano, demasiadamente lógico-matemático, marcaram a época em que os computadores pré-PC, ou os PC com pouca memória e baixo poder de processamento eram utilizados segundo a lógica de interação com a máquina a partir de possibilidades de programação no universo lógico-formal de interação entre aluno/professor, a partir  da utilização das interfaces e comandos da linguagem LOGO.
Segunda Fase
Com a evolução do poder de processamento dos microcomputadores, entra em cena a concepção skineriana, que se baseia na transferência da visão de máquina de aprender instrucionista para o mundo digital e em rede. Essa perspectiva foi fortalecida a partir dos projetos governamentais para a instalação de microcomputadores em escolas, concretizadas, por exemplo, com a grande utilização de softwares para automação de escritórios e/ou aplicações específicas que transformavam o micro computador em máquina de ensinar, a partir de uma lógica estímulo/resposta.
Terceira Fase
O fortalecimento e a popularização da internet fazem surgir diversos projetos na lógica dos chamados “portais educacionais” que buscam disseminar conteúdos e informações numa perspectiva de produção centralizada e de disseminação em massa, segundo métodos amplamente difundidos pelos padrões de mídia broadcasting.
Fase Atual
Como resultado da evolução das tecnologias e práticas comunicacionais para os padrões interativos da chamada web 2.06 , onde as interfaces e recursos de navegação tornam-se mais simples e intuitivos, transferindo poder de criação e compartilhamento de conteúdos para os    usuários,
QUADRO 01: FASES DAS TICS
FONTE: ALMEIDA, (2009, p. 09-10)
ORG.: LEMES e DIAS, 2015.


Diante de um quadro que descreve com riqueza de detalhes sobre as fases das TICs na EaD atualmente através desta evolução os Ambientes Virtuais de Aprendizagem – AVA são desenvolvidos as  mais diversas atividades e interatividades. Segundo Ribeiro, Mendonça e Mendonça (2007)


O uso do AVA oferece as seguintes vantagens: a interação entre o computador e o aluno; a possibilidade de se dar atenção individual ao aluno; a possibilidade do aluno controlar seu próprio ritmo de aprendizagem, assim como a sequencia e o tempo; a apresentação dos materiais de estudo de modo criativo, atrativo e integrado, estimulando e motivando a aprendizagem; a possibilidade de ser usada para avaliar o aluno (RIBEIRO, MENDONÇA E MENDONÇA, 2007, p. 05).


Através dos AVAs é possível promover uma maior interatividade e comunicação entre alunos, tutores e professores por meio dos fóruns de discussão e debates, além de chats, mensagens, feedbacks. Batista e Gobara, 2007 afirmam que:

Mais do que na educação presencial, a interação entre professores e alunos na educação a distância é relevante para a manutenção do interesse dos alunos. O fórum por si mesmo não promove a interação. Essa só pode ser efetivada a partir da intencionalidade dos professores e alunos associada a um objetivo maior que é o alcance do conhecimento (BATISTA e GOBARA, 2007, p. 3).

Na EaD todo o retorno concernente das TICs é permeado pela ação e intervenção das equipes interdisciplinares que de forma  dinâmica promove    a socialização de forma afetiva e intencional, inserindo e acolhendo o aluno, incentivando, acompanhado, orientando e estimulando o desenvolvimento da autonomia, e das competências e habilidade.

No AVA a mescla de culturas, etnias, classes sociais, e as  experiências e dificuldades são a tônica nesses ambientes, e o professor, bem como a tutoria são capazes de forma afetiva promover relações, participações efetivas nos momentos virtuais, sendo esta, uma perspectiva promissora e exitosa. Nesse sentindo Moran (1994) ainda colabora destacando que:

O afetivo dinamiza as interações, as trocas, a busca, os resultados. Facilita a comunicação, toca os participantes, promove a união. O clima afetivo prende totalmente, envolve plenamente, multiplica as potencialidades. O homem contemporâneo, pela relação tão  forte com os meios de comunicação e pela solidão da cidade grande, é muito sensível às formas de comunicação que enfatizam os apelos emocionais e afetivos mais do que os racionais (MORAM, 1994, p. 235).


Nessa perspectiva todo o envolvimento da tecnologia na Educação à Distância veio potencializar o conhecimento do aluno, promover relações, reduzir distâncias, romper fronteiras, além de oportunizar um acesso democrático ao sistema de ensino.

A práxis pedagógica desenvolvida na Educação à Distância requer o emprego também de recursos didáticos, sendo estes uma premissa necessária para dar suporte à aprendizagem dos alunos. Através das TICs enquanto tecnologia promissora e potencializadora do processo de socialização e produção do conhecimento são possíveis também dar suporte na produção de material didático. Santos (2002) relata que,

As tecnologias digitais vêm superando e transformando os modos e processos de produção e socialização de uma variada gama de saberes. Criar, transmitir, armazenar e significar estão acontecendo como em nenhum outro momento da história. Os novos suportes digitais permitem que as informações sejam manipuladas de forma extremamente rápida e flexível envolvendo praticamente todas as áreas do conhecimento sistematizado bem como todo cotidiano nas suas multifacetadas relações. Vivemos efetivamente uma mudança cultural (SANTOS 2002, p. 114).


Nesse construtivismo pedagógico o professor autor utiliza as TICs para a produção do material didático para dar suporte teórico e palpável para o aluno. Mas nesse processo de evolução da EaD através das TICs é necessário citar também sobre os indivíduos que possuem dificuldades em desenvolver a aprendizagem devido a falta de habilidade e aptidão. Em certas situações as TICs não são tão aceitas, tanto do lado do professor quanto da vertente do aluno, o quadro 02 de acordo com Mercado (2007) destaca as principais dificuldades concernente com as tecnologias disponíveis na EaD.


DIFICULDADES NO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA
DIFICULDADES
PREJUDICADO
Conteúdo do curso desinteressante para o aluno
Aluno
Insuficiente domínio técnico das TIC
Aluno, Professor e Tutor.
Prática do Professor na EAD online
Aluno
Falta de competência para a tutoria online
Aluno
Obstáculos na formação inicial do professor e do tutor online
Aluno
Preparação do aluno para estudar online
Aluno
Dificuldades nas interações e trabalhos em Grupo
Aluno, Tutor e Professor.
Administração do tempo
Aluno, Tutor e Professor.
Silêncio e Orfandade online
Aluno
Práticas cooperativas ou competitivas na EAD
Aluno, Tutor e Professor.
Excesso de conteúdo e custo da impressão de materiais pelos alunos
Aluno
Criação de expectativas irreais na EAD
Aluno
Exercício da tutoria online
Aluno
QUADRO 02: Dificuldades na EaD FONTE: MERCADO, 2007 ( S/P). ORG.: LEMES e DIAS, 2015


Portanto, a tecnologia potencializou a EaD proporcionando a qualificação pessoal e profissional de alunos e professores. Vários foram os trajetos, e diversas as tipologias de abordagem, é sabido também das dificuldades, mas atualmente, a tecnologia é a maior aliada da Educação à Distância.





4.    CONCLUSÃO



Sabido de toda a trajetória da Educação à Distância, é por meio do advento da tecnologia que ela se concretizou, evoluiu e encontra-se em processo de ascensão. Nesse ínterim, a legislação brasileira, também deu certo, sendo a LDB o marco principal dessa modalidade de ensino.

Toda a interatividade, comunicação e diálogo são estabelecidos face ao computador potencializando assim as habilidades dos alunos. Porém algumas dificuldades são encontradas no exercício efetivo da aprendizagem, principalmente a respeito da qualificação dos profissionais responsáveis por ministrar os conteúdos, além da falta de aptidão dos alunos.

Mesmo diante das dificuldades, toda a experiência, construção do conhecimento e potencialização do saber são primordiais e a tecnologia foi a propulsora de tal aprendizagem. As atividades, fóruns, chats reduziram as distâncias e promoveu uma qualificação pessoal e profissional nos mais diversos recortes espaciais brasileiros.



EDUCATION AND TECHNOLOGY: A REALITY IN EXPANSION






ABSTRACT



This paper aims to reflect on new technologies related to education, understanding the interaction that can be made in the teaching learning through pedagogical practices aimed at teaching the distance mode. The methodology used was constructed through literature, especially through articles, books and documents available in electronic sites. With the technological advent Distance Education can bring knowledge to the most diverse areas of Brazil. In that sense, using this development, it has become possible to achieve greater interactivity and communication. There are difficulties, but the involvement and commitment of the interdisciplinary team can reduce these problems and expand the expectations with regard to this successful mode of education, on


the rise, and continuously becoming popular and democratic. Before all the construction process, development and delivery of distance education is possible to state and conclude that it is now a worldwide trend that allows and enables new perspectives for Brazilian educational setting.



Key words: Technology, Distance Education, Learning Education.





5.                           REFERÊNCIAS.




ALMEIDA, Doriedson Alves de.  TIC e Educação no Brasil: Breve   Histórico e Possibilidades Atuais de Apropriação - 2009. Disponível em: http://publicacoes.ufes.br/PRODISCENTE/article/view/5725/4173 Acesso em: Jul 2015.

BATISTA, Erlinda Martins; GOBARA, Shirley Takeco. O fórum on-line e a interação em um curso a distância”. In: RENOTE – Revista Novas Tecnologias na Educação, site do CINTED-UFRGS, 01 dez. 2007. Disponível em: http://www.cinted.ufrgs.br/ciclo9/artigos/8cErlinda.pdf . Acesso em: Jul 2015.

BRASIL. Decreto 5.622, de 19 de Dezembro de 2005. Disponível em : http://www.cfess.org.br/arquivos/legislacao_graduacao_decreto.pdf . Acesso em: Jul 2015.


FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila. Disponível em http://www.ia.ufrrj.br/ppgea/conteudo/conteudo- 2012-1/1SF/Sandra/apostilaMetodologia.pdf. Acesso em: Junho de 2015.


GOMES, Silviane Guimarães da Silva. Histórico da EaD no Brasil. e-Tec Brasil          –                Tópicos              em      Educação     a      Distância.         Disponível     em: http://ftp.comprasnet.se.gov.br/sead/licitacoes/Pregoes2011/PE091/Anexos/Ev entos_modulo_I/topico_ead/Aula_03.pdf. Acesso em: Jul 2015.

GOUVÊA, Guaracira; OLIVEIRA, Carmem Irene. Educação a distância na formação de professores: viabilidade, potencialidades e limites. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2006.


LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5º Ed. São Paulo: Atlas, 2003. Disponível em: https://docente.ifrn.edu.br/olivianeta/disciplinas/copy_of_historia-i/historia- ii/china-e-india. Acesso em: Jul 2015.


MERCADO, Luís Paulo Leopoldo. Dificuldades na Educação à Distância Online. Abril 2007 - Universidade Federal de Alagoas. Disponível em: http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/55200761718PM.pdf Acesso em: Jul 2015

MORAN, José Manuel. Interferências dos meios de comunicação no nosso conhecimento. Revista Brasileira de Comunicação. São Paulo: Vol. 17, n. 2, 1994.            Disponível        em: http://portcom.intercom.org.br/revistas/index.php/revistaintercom/article/viewArti cle/844. Acesso em: Jul 2015.


PEREIRA, Eva Wairos. MORAES, Raquel de Almeida. História da educação a distância e os desafios na formação de professores no Brasil. In: SOUZA, A.M.; FIORENTINI, L.M.R.; RODRIGUES, M.A.M. (Org.).Educação superior a distância: comunidade de trabalho e aprendizagem em rede (CTAR). Brasília: Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2009.

RIBEIRO. Elvia Nunes, MENDONÇA. Gilda Aquino de Araújo, MENDONÇA, Alzino Furtado de. A Importância dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem na Busca de Novos Domínios da EaD. Disponível em: http://www.abed.org.br/congresso2007/tc/4162007104526am.pdf Acesso em: Jul 2015.

SANTOS, Edméa Oliveira. Formação de Professores e Cibercultura: novas práticas curriculares na educação presencial e a distância. In: Revista da FAEEBA, v.11, n. 17, p. 113-122, jan./jun. 2002. Disponível em: http://www.ufjf.br/grupar/files/2014/09/Formacao_de_professores_e_Cibercultur a.pdf. Acesso em: Jul 2015.





TRABALHO DESENVOLVIDO E CONCLUÍDO EM JULHO DE 2015



Gislene Aparecida Lemes 
Glissia Mara Mendes Dias